" Talvez hoje eu sinta mais saudade do que tu era, não mais do que tu é. Hoje eu tenho tuas palavras, mas elas não são mais doces, elas cortam, elas ferem. E sempre que você volta como tem voltado eu sinto essa dor, essa saudade, esse amor. São coisas ruins e coisas boas que misturam as sensações. São sentimentos assustadores e aconchegantes, tudo no mesmo momento.
E é isso que tu faz em mim.
Assusta. Protege. Tudo junto.
E é disso que tenho medo. E quando você parar?
Quem vai sentir exatamente quando estou com saudade e voltar pra minha vida? Quem vai me escutar falando dos meus planos com tanta certeza e acreditar que eles serão verdade? Somente você faz isso por mim. Só você.
E eu estou cada vez mais distante disso tudo.
Quem vai me deixar feliz com uma mensagem, um ‘oi’, um sorriso? Quem vai me fazer acreditar que tudo vai dar certo e que eu vou conseguir me sentir melhor no ano que vem?
Sem você não dá. Sem você eu volto atrás, eu me perco. Prefiro me perder com você. Em você.
Sinto tua falta, sinto falta da subida e da descida. Sinto falta da montanha russa. E, no final, sinto falta somente de você, do teu abraço.”
( escrevienaomandei )

16, April 2014

Éramos nós dois. Do jeito que sempre fomos.
A fumaça entrava queimando a garganta.
A gente ria, se olhava.
Tossíamos juntos enquanto a música tocava.
Falávamos de amor. Da vida. De querer ser e ter. Dos sonhos.
Mais um trago.
Nos olhávamos como nunca antes.
Agora, nossa sinceridade ultrapassava as palavras.
Nós transpirávamos verdades.
Éramos dois adolescentes descobrindo o prazer de ser o outro.
Nossos dedos se entrelaçavam. Podíamos perceber os sentimentos por entre os nós.
Éramos nós dois. Do jeito que nunca fomos.
Carne, unha e coração.
Num bem tão grande que sabíamos, éramos o que deveríamos ser.
Éramos eu, você, a fumaça e o sentimento.

E eu acordei.

27, March 2014

É que eu não tive tempo de chorar as mágoas dessa desilusão.
Você não me fez só mal, mas o mal que me fez superou tudo que havia de bom em nós.
Não tenho direito de te dizer isso hoje com todas as palavras, mas quem me dera.
Eu queria te mostrar como você foi covarde. Como foi tudo que eu não esperava.
Eu queria te fazer entender que não precisava ser assim.
Queria te mostrar que quem errou foi você. Sempre.
E hoje (só hoje) eu sei.
Olha quanto tempo me levou pra tirar aquela culpa das costas.
Olha quantas coisas você mudou em mim, que não fazia ideia.
Você me fez pior.
Me fez, sim, mais forte. Mas me fez pior.
E é isso.
Você, sem dúvidas, foi a maior decepção.
Você foi o maior erro.
Sem dúvidas, você foi a maior entrega sem respostas.

27, March 2014

Tô com saudade.
Tô com saudade do castelo que você construiu.
Saudade do universo que você desenhou pra nós.
Sinto saudade de ser aquele alguém e de ter VOCÊ como aquele alguém.
Eu sinto falta de um romance, mas sinto muito mais falta do nosso romance.
Não é com você que eu quero estar hoje, mas como eu queria querer!
Eu queria querer te amar como te amei, de novo e de novo. E pra sempre, como deveria ser.
Eu queria viver na nossa casinha amarela, queria ter um macaco, falar do passado, passar férias em Cabo Frio, te chamar de apelidos.
Eu queria a rede na varanda, o chinelo com meia e o casaco dos quatro elementos.
Eu queria escutar Armandinho no sofá da sala, comendo joelho, falando do tempo.
Eu queria jogar Mario Kart, um domingo de futebol e dormir de conchinha.
Queria voltar no tempo, viver com você.
Eu queria VIVER VOCÊ, como nunca fiz.

Sinto sua falta.
E esse é o “eu não te amo” mais sincero do mundo.
Mas eu amo nós dois.

"É que lá, eu me sentia em casa. Como deve ser."

26, March 2014

”- And the hardest part is that I know that you didn’t mean to hurt me.

- Of course I didn’t.

- But you did. Jenny, you did. And this time, I can’t… I can’t fix it for you. And I can’t make you feel better. And I can’t make myself feel better by helping you.”

Being Erica - S03E07

25, March 2014

Nos encontramos por aqui, nesse mundo onde nada existe de verdade. Tudo por causa da música.
Você veio e foi embora.
E depois disso fomos quase nada. Exceto pelo elo gigantesco que nos unia e nós nem sabíamos o porquê.
O carinho que eu sinto por você me faz estremecer toda vez que penso que talvez não te veja nunca mais.
Eu não sei qual é o motivo, mas gosto de ter você na minha vida.
Nós não conversamos, não nos vemos. Nós não somos nada. Mas você é muito pra mim.
Eu sinto tanto a sua falta que dói te ver tão longe de mim por entre essa tela.
Sinto falta de falar com você todos os dias e de imaginar como seria te encontrar.
Sinto falta daquelas tardes, de jogar conversa fora.
Sinto falta daquelas ligações no skype.
Sinto falta de correr da chuva e de olhar o por do sol.
E, acredite, sinto falta do aperto que me deu no peito te esperando descer do avião.
Sinto falta de você, como se tudo isso não tivesse sido apenas uma vez.

Que tal mais um café?

13, March 2014

"A última é a presença e a falta acontecendo ao mesmo tempo"

O pior é saber que você está nesse momento. Quando a presença e a falta ainda estão juntas no mesmo pequeno espaço.
Pior é dizer adeus sem saber o que poderíamos ser. Sem saber o que seria de nós.
O pior é reconhecer a linha tênue entre o ter e o não-ter-mais. Entre o ainda-sim e o nunca-mais.

Naquele primeiro dia eu te disse “não quero me arrepender depois”. Mas parece que você não entendeu o significado nas entrelinhas. Eu só queria dizer “cuida de mim e não me machuca”.
Tarde demais.

(“…mas é sem querer”)

11, February 2014

Ir com calma é meio estranho pra mim.
Não sei dançar conforme a música. Geralmente saio atropelando tudo e pulando de cabeça em amores vazios.
É tão engraçado esse “ser aos poucos”.
É tão estranho esse sentimento puro, até meio inocente.
É tão tão TÃO estranho não me jogar sem pensar.
É engraçado pensar que no último domingo tudo que eu pensei foi o quanto eu queria que você segurasse minha mão, o quanto eu queria encostar minha cabeça no seu ombro pra olhar o mar.
É engraçado lembrar de quantas vezes eu quis te dar um abraço meio sem jeito só pra sentir o seu perfume.
Estranho pensar nas vezes que nos sentamos um ao lado do outro e eu estremeci sentindo sua perna encostar na minha.

É muito curioso esse jeito tão adolescente de gostar de você.
E acho que é isso que eu gosto em você. Dentre outras coisas.

17, January 2014

Agora é um pouco mais fácil enxergar que ao longo da vida nós vamos virando as páginas.
A saudade fica. Ela sempre fica. Mas enquanto isso vou me despindo de passados e me vestindo de presentes da vida.
Algumas coisas ficam menos pesadas com o tempo. Isso é um fato.
É claro que tudo pesa demais. E que tudo que podia acontecer ser desfeito assim, dói em mim. Mas importa de verdade saber (e sentir) que as coisas passam.
Não passa tudo. Não é como se virasse pra uma página em branco. Mas ainda tem espaço pra mais coisa nesse caderno. Ainda existem muitos desenhos pra rascunhar. Muitos que vão me doer. Muitos que vou querer apagar no dia seguinte. Mas todos eles são marcas de sentimentos que tive e que terei.
Saber que passou agora dá um alívio sem tamanho. E saber que se as mais fortes passaram, qual seria o motivo pra deixar passar em branco o que pode ser bom também?
Ou melhor.

Aprendendo eu sigo.
Desenhando e vivendo.

15, January 2014
Confissão pra você que eu não sei quem é

É que quase tudo tem um efeito diferente em pessoas como eu.
É que essa coisa de levar tudo bem leve e não importar o futuro é de menos pra mim.
Quero ser. E quero ter.
Amar como se não houvesse. Como se não tivesse mais nada além de nós.
Quero ser dois em um. E uma feliz.
Quero pegar na sua mão. Te fazer sorrir.
Quero ter a certeza de que não importa o que eu fale, sei que vai me responder.
Quero andar com você. Te fazer sorrir de amor.
Quero sentir que tudo tem valor. E quero te dizer baixinho como é bom amar você.
Quero te beijar na rua. Quero te abraçar na chuva. Te fazer cafuné até dormir. Te dizer que somos só nós nesse mundo.
Quero te amar. Te amar até o fim.
Quero você. Com defeitos. Com erros. Com manias. Quero você de qualquer jeito.

28, December 2013

Eu sou carente de pessoas virtuais.
Sou carente de uma amizade verdadeira que não dependa de contato físico para existir.
Mas tá difícil.
Acho que não sou o bastante. Ou eles não são o bastante. Sei la.
Ultimamente as expectativas são outras.
Nada é como antes. E tenho medo que nunca mais seja.

Cadê o mundo real pra me salvar, então?

"Estar perto não é físico."

4, December 2013
Palavras enroladas pra quem (se) importa.

Expectativas são sempre frustradas. Não importa o tamanho do esforço.

Tudo que fiz nessa vida foi para que você me enxergasse. Da forma que fosse.

Todas as vezes que penso em mim, hoje, me desespero.

As palavras que saem da sua boca machucam como espinhos cravados na pele.

Minha vida tem sido como olhar o futuro pelo espelho. Só consigo enxergar o passado embaçado que tudo tem sido.

Só consigo enxergar os erros.

Só vejo o que eu, inconsequente, matei.

Só me lembro de quanto tudo era bom e que, agora, é assim.

Não me julgue. Não me aponte. Não me diga o quanto errei.

Já basta o que eu sei. De você eu quero o colo e a certeza que me apoia em tudo, como sempre disse.

Mas não é.

Me sinto sozinha.

E sozinha devo seguir.

21, November 2013

"Sempre mantive um pé
pra fora da porta…
e isso me impediu de fazer muitas
coisas, como pensar no meu futuro, e…
Acho que fazia mais sentido
não me comprometer com nada.
Deixar minhas opções em aberto.
E isso é suicídio
de pouco a pouco.”

(High Fidelity - Nick Hornby)

10, November 2013

Ascende a alma com o fogo desse isqueiro.
Queima os sonhos não realizados.
Dá um trago de saudade.
Sinta a nostalgia encher os seus pulmões e depois solte tudo em forma de melancolia.

8, September 2013
Sobre lugares, céu e cores.

O céu daí é de um azul tão intenso que me faz querer mudar as horas do meu dia.
A lembrança que tenho de você é tão densa que me faz querer voltar no tempo que eu achava que seríamos duas metades mal feitas e perfeitas.
Saber de ti é tão bom que me faz pensar mesmo se as coisas tão superficiais importam nessa relação.
Te conhecer por dentro, pra depois te conhecer por fora talvez tenha sido o erro.
Seu interior é surpreendente, encantador, mágico, compatível e arrebatador. Tanto que fez com que toda a expectativa de te conhecer por inteiro fosse tão gigantesca quanto o sentimento que criei por você. O resto foi o que me deixou sem chão.
Talvez você fosse minha salvação. Meu novo e completo arco iris nessa vida cinza.
Talvez você fosse meu pedacinho de céu azul.
E eu, cega, não me deixei enxergar.

8, September 2013